Propagandas antigas.

É muito engraçado assistir os comerciais muiito antigos e ver como as marcas mudam seu posicionamento, sua mensagem. (óbvio né, até por que é outra geração, outros costumes, etc...)
A Coca-Cola por exemplo, em um vídeo - que não consegui baixar - o áudio diz: ''Coca-Cola pura e saudável, isso faz um beeem". Hoje certamente não colaria.

Veja vídeos antigos da Coca-Cola:

video video video

NIKE

Curiosidade:
Evolução da marca Nike:
Esse comercial da Nike é muito bom! Achei linndo demais.
Pra quem ainda não assistiu... Just do it!!!

video

GM, Honda e Fiat são alvos da Nissan em novo comercial e GM abre segundo processo contra Nissan no Conar.


(Matéria publicada no portal Exame - http://portalexame.abril.com.br/marketing/ - dia 24/09/2010 - 21:18)
Pra que Nissan?
Literalmente fazendo as rivais de alvo, a montadora japonesa apresenta características e prêmios dos modelos da família Livina. No caso da GM, a comparação é com o Meriva. Para Honda, a Nissan confronta o certificado de conserto do Nissan Livina, citado como o mais barato no mercado, ao modelo Fit da conterrânea. O comercial termina bem-humorado citando ainda o Fiat Idea.
Criação da agência Lew'Lara\TBWA, o ousado anúncio promete causar alvoroço nas redes sociais e a ira das concorrentes. A iniciativa da Nissan de lançar o vídeo na sexta-feira à noite parece estratégica.

Vídeo estreou primeiro na internet, no fim da tarde desta sexta-feira, e vai ao ar também na TV:


video

O histórico de comerciais provocativos da Nissan já inclui investidas contra grandes marcas de esportivos como Porsche e Audi, e recentemente foi a vez da Toyota e da Volkswagen "comerem poeira" ao serem citadas "indiretamente" na divulgação da Frontier.

video

A GM entrou nesta semana com um pedido de representação no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) contra o comercial lançado pela Nissan na sexta-feira à noite (24). A Nissan acumula ainda outros dois processos em andamento no Conar. Ambos dizem respeito a propagandas comparativas e foram movidos por montadoras concorrentes.O primeiro, aberto em agosto, foi movido também pela GM. O julgamento deve ocorrer no próximo mês.O segundo pedido de representação foi aberto a partir de uma denúncia da Volkswagen.

Produção das peças.

Nem todos os alunos que cursam Publicidade e Propaganda tem aptidão para Produção Gráfica. É claro que todos são muito criativos, mas há uma certa dificuldade na hora de elaboarar as peças ou então na hora de pensar ''Como transmitir essa mensagem da melhor forma possível?''

Abaixo, temos dois vídeos que transmitem exatamente a mesma mensagem de formas diferentes. O primeiro vídeo é da Toyota, que precisou de apenas 0:51' para mostrar o que queria. Já o segundo vídeo, da Wolks, que precisou de mais que um minutinho a mais: exatos 2:42', para dizer a mesma coisa.

Os dois vídeos ficaram ótimos. Fantásticos! Mas dá pra perceber como às vezes podemos dizer a mesma coisa de forma mais simplificada e não menos precisa.

video

Advertising agency: Saatchi & Saatchi, ItalyCreative directors: Agostino Toscana, Alessandro OrlandiArt Director: Luca PanneseCoywriter: Luca LorenziniDirectors: Luca Pannese, Luca LorenziniProduction company: (h)films.

video

Production: BM8, Hamburg, GermanyProducer: Henrike BoegeCoproduction: Sehsucht, Hamburg, GermanyDirectors: Ole Peters, Hans-Christoph SchultheissProducer: Stephan ReinschConcept / Art: Hans-Christoph Schultheiss, Axel Broetje3D Character: Markus Geerts, Sebastian Mayer, Markus Plinke3D Environment: Peter Balicki, Vitaly Grossmann, Matthias Thoman, Joern Engelke2D Animation: Beatrice Wellenbrock, Silke SielerCompositing: Beatrice Wellenbrock, Silke Sieler, Hans-Christoph Schultheiss, Sebastian SpitzeMusic: Fritz Rating, Stefan Will / BLUWI Hamburg.

Caso os vídeos não carreguem aqui, vai os links:

http://www.youtube.com/watch?v=weKiz92liDk

http://www.youtube.com/watch?v=49LoFYJpgQ0

FATURAMENTO PUBLICITÁRIO


Faturamento publicitário dispara 2000% em 10 anos.



Internet, dona de 4,3% da verba publicitária, está apenas 1% atrás de rádio. TV aberta recebe cerca de 60% dos investimentos. Informação é do Mídia Dados 2010.


(Dados de agosto de 2010.)


São Paulo - Os 15 maiores anunciantes privados brasileiros investiram R$ 13,2 bilhões (brutos) em publicidade, em 2009. Se comparado com o ano de 2000, quando foram investidos R$ 2,1 bilhões, o crescimento é superior a 500%. Em dez anos, o faturamento das 15 maiores agências de publicidade do Brasil passou de R$ 1,1 bilhão para R$ 22,7 bilhões, quase 2000% a mais. Análises e informações como essas estão contidas na edição recorde de 776 páginas do Mídia Dados 2010, apresentado ao mercado na noite desta quinta-feira (12 de agosto), em São Paulo.
Sob o título "Uma década de ouro", o Mídia Dados 2010 faz um verdadeiro raio X do investimento em publicidade, dos maiores anunciantes do País, da audiência das TVs brasileiras, rádios, penetração dos jornais e revistas, e internet. O Mídia Dados é organizado pelo Grupo de Mídia de São Paulo. Entre as novidades da edição, está a versão para
iPad, mais uma prova de que o mercado brasileiro de comunicação é moderno e plugado nas mais novas tecnologias.
O anuário, publicado desde 1998, reúne informações abrangentes sobre o investimento em mídia no Brasil e em outros dez países da América Latina. O anuário deste ano, lançado sob a gestão de Luiz Fernando Vieira, atual presidente do Grupo de Mídia e sócio e VP de mídia da Africa, é o mais moderno e completo da história.
"A versão do iPad está fazendo sucesso. Os temas que mais frequentam as páginas do Mídia Dados 2010 são as novas tecnologias. O livro também está todo digitalizado no site da entidade. O anuário faz um Raio X do mercado de mídia, com dados atualizados. Os editoriais estão com debates muito ricos sobre os problemas e desafios da mídia", comentou Viera.
O Mídia Dados mostra que a participação dos meios de comunicação no bolo publicitário não modificou muito o cenário. A TV aberta está com 60,9% de share (ou seja, a TV aberta é dona de 60% da verba publicitária no Brasil); seguida pelos jornais, com 14,1%; revistas (7,7%); rádio 4,4%; internet (4,3%); TV por assinatura (3,7%); mídia exterior com 2,9%; guias e listas (1,6%) e cinema na lanterninha, com 0,4% dos investimentos em publicidade no País.












COMERCIAIS QUE ESTÃO ARRASANDO NA COPA 2010

">

">